Grupo Icelandair cancela aquisição da WOW air e companhia reduz frota

O Grupo Icelandair enviou um comunicado à bolsa de valores, a anunciar que a compra da WOW foi cancelada, uma vez que seria impossíevl que todas as condições do contrato de compra de ações fossem cumpridas pela assembleia de acionistas no próximo dia 30 de novembro.

O Conselho de Administração do Grupo Icelandair não teria tempo necessário para recomendar aos acionistas a compra da WOW air pela Icelandair. Além disso, o Conselho não pretende submeter à assembleia de accionistas uma proposta para adiar a tomada de decisões sobre o contrato de compra.

Devido a esta situação, ambas as partes concordam em abandonar o contrato de compra, tendo havido declarações por parte das duas empresas:

O Presidente Interino e CEO do Grupo Icelandair, Bogi Nils Bogason "A aquisição planeada não irá passar. O Conselho de Administração e a administração de ambas as companhias trabalharam neste projecto com determinação. Esta conclusão é certamente decepcionante. Queremos agradecer à administração da WOW air pela boa cooperação no protejo durante estas últimas semanas."

Já Skúli Mogensen, CEO e fundador da Wow air:

"Ficou claro desde o início que era uma tarefa ambiciosa completar todas as condições do contrato de compra das acções neste curto período de tempo. Agradecemos à equipa da administração do Grupo Icelandair por este projecto desafiador."

Já esta semana a WOW air, iniciou a redução da sua frota. Dois aviões Airbus A320 e dois Airbus A330 foram devolvidos, numa acção concertada com os respectivos lessors.


Já esta semana a WOW air, iniciou a redução da sua frota. Dois aviões Airbus A320 e dois Airbus A330 foram devolvidos, numa acção concertada com os respectivos lessors.

Em comunicado a empresa disse que esta redução faz parte da reestruturação necessária da empresa e visa melhorar a utilização média das aeronaves remanescentes.


Os aviões devolvidos foram: os Airbus A330-300, TF-WOW e TF-LUV e os A320, TF-BRO e TF-SIS.

A WOW air afirma que a reestruturação não afectará os actuais planos de iniciar voos para a Índia.