China Southern vai abandonar a SkyTeam

A companhia aérea chinesa China Southern anunciou que vai abandonar a aliança SkyTeam no próximo ano, enquanto procura parcerias com empresas aéreas pelo mundo.

A China Southern afirmou que não irá renovar o seu contrato com a SkyTeam, que irá expirar no próximo dia 1 de janeiro de 2019. Com a sua operaçáo principal em Guangzhou, a companhia  justificou que a saída foi baseada no seu desenvolvimento estratégico "e para estar melhor alinhada com a nova tendência de modelo cooperativo na indústria global".
Os indícios da saída começaram em 2017, quando a American Airlines decidiu investir $200 milhões de dólares na companhia chinesa ao comprar 2,68% de participação na bolsa de Hong Kong.

Após este investimento a companhia anunciou acordos de codeshare com a própria American, além da British Airways e da Qantas, todas membros da aliança oneworld.

Assim sendo a SkyTeam passará a contar com 19 companhias: Aeroflot, Aerolíneas, Aeroméxico, Air Europa, Air France, Alitalia, China Airlines, China Eastern, CSA Czech Airlines, Delta, Garuda Indonesia, Kenya Airways, KLM, Korean Air, MEA, Saudia, TAROM, Vietnam Airlines e Xiamen Air.

Não é improvável que a China Southern migre para a oneworld, tendo em vista que a única "chinesa" da aliança é a Cathay e o mercado chinês é o que mais cresce no mundo.
Prova disso é que a Star Alliance e a própria SkyTeam contam com duas companhias da China em cada aliança (respectivamente Air China + Shenzen e China Eastern + Xiamen).

Já a oneworld não conta com nenhuma companhia aérea chinesa propriamente dita e procura ampliar a sua presença no país.